O que você está achando do blog?

Clique e acesse a Liturgia Diária

Seguidores

Bíblia Católica

Rádio Sant'Ana - AM 1540

Deixe seu recado

31 de jul de 2011

PAPA BENTO ANUNCIA MAIS NOMEAÇÕES PARA O BRASIL

O papa Bento XVI nomeou, nesta quarta-feira, 27, dom Manoel dos Reis de Farias novo bispo da diocese de Petrolina (PE), transferindo-o da diocese de Patos, na Paraíba. Ele sucede a dom Paulo Cardoso da Silva, 76, que teve seu pedido de renúncia aceito pelo papa, por limite de idade, conforme o Cânon 401 § 1º do Código de Direito Canônico.
Bento XVI nomeou também o monsenhor Gilson Andrade da Silva, 44, bispo auxiliar da arquidiocese de São Salvador, na Bahia.  Ele é reitor do Seminário Nossa Senhora do Amor Divino, da diocese de Petrópolis (RJ).
Dom Manoel
O novo bispo de Petrolina, dom Manoel dos Reis de Farias, nasceu no dia 23 de abril de 1946, em Orobó (PE). Foi ordenado padre em 6 de janeiro de 1983. Em agosto de 2001, foi nomeado bispo da diocese de Patos e recebeu a ordenação episcopal no dia 10 de novembro do mesmo ano. Tem especialização em Direito Canônico e seu lema episcopal é “Servir na unidade”.

Mons. Gilson
Nascido no Rio de Janeiro, no dia 11 de setembro de 1966, mons. Gilson foi ordenado padre em 4 de agosto de 1991. Cursou filosofia  no Seminário Diocesano Nossa Senhora do Amor Divino, em Petrópolis, e teologia na Universidade de Navarra, na Espanha, tendo sido aluno do Colégio Eclesiástico Internacional Bidasoa (Pamplona, Espanha).
Com mestrado em teologia pela Pontifícia Universidade della Santa Croce, em Roma, mons. Gilson foi vice-reitor do Seminário Nossa Senhora do Divino Amor, de Petrópolis; vigário paroquial da paróquia Sant’Ana e São Joaquim, em Petrópolis; professor no Seminário e na Universidade Católica de Petrópolis; diretor do Instituto de Teologia, Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Católica de Petrópolis.
Atualmente, mons. Gilson é reitor do Seminário, membro do Conselho Pastoral Diocesano, do Colégio de Consultores e da Equipe de Coordenaçaõ Diocesana do Planto Pastoral de Conjunto e da Missão Popular, coordenador diocesano da Pastoral da Juventude e presidente da Associação Mantenedora das Faculdades Católicas Petropolitanas (UCP).
Segundo a assessoria de comunicação da arquidiocese de Salvador, mons. Gilson será ordenado bispo no dia 24 de setembro, às 10h, na catedral de Petrópolis. Sua chegada a Salvador será no dia 8 de outubro.


Postado por Seminarista Adriézio lima às 17:47hs
FESTA DE SÃO JOÃO MARIA VIANNEY

A "Fraternidade Dom Timóteo", convida você e sua família para festejar conosco a festa em honra ao patrono de nossa casa São João Maria Batista Vianney.



Celebraremos mais uma festa do nosso amável patrono São João Maria Vianey. Tempo de união, conversão e de olharmos para o seu exemplo de fé, coragem, amor e de uma sincera humildade ao Deus verdadeiro. Durante sua vida nesta terra, tornou-se um dos padres mais Santos em nossa Igreja.

Serão dias de celebrações, reflexões e muita oração em nossa comunidade formativa. De 30 a 04 de agosto de 2011. No dia 05 de agosto (sábado), acontecerá o nosso tradicional bingo – um carneiro e uma cesta básica – em prol de nossa casa de formação. Desde já, agradecemos a todos. Participe conosco!

Corpo incorrupto de São João Maria Batista Vianney


João Maria Vianney nasceu em 8 de maio de 1786 em Dardilly, aldeia a dez quilômetros ao norte de Lyon. Foi o quarto filho do casal Mateus e Maria Vianney, que tiveram 7 filhos.
Desde os quatro anos, ele gostava de freqüentar a Igreja. Quando isso se tornou impossível, pelas perseguições que o Estado desencadeou, ele fazia suas orações habituais, todas as tardes, na casa dos pais.
Quando foi aberta uma escola, Vianney, adolescente a freqüentou durante dois invernos, porque ele trabalhava no campo sempre que o tempo permitia. Foi então que aprendeu a ler, escrever, contar e falar francês, pois em sua casa se falava um dialeto regional.
Foi na escola que se tornou amigo do padre Fournier, e aos poucos foi crescendo nele o desejo de se tornar sacerdote. Foi necessário muita insistência, pois o pai, de forma alguma, desejava dispensar braços fortes de que a terra necessitava.

Aos 20 anos ele seguiu para Écully, na casa de seu tio Humberto. Sabia ler, mas escrevia e falava francês muito mal. Além de aprimorar a língua pátria, precisou aprender latim, pois na época os estudos para o sacerdócio eram feitos em latim, bem assim toda a celebração litúrgica.
Em 28 de maio de 1811, com 25 anos de idade, na catedral Saint-Jean tornou-se clérigo de diocese. Por ter fama de ignorante perante os superiores, foi-lhe confiada a paróquia de Ars-en-Dombes, ou talvez porque lhe conhecessem a grandeza de alma. Em Ars, não havia pobres, só miseráveis.
João Maria Vianney chegou a Ars em uma sexta-feira, 13 de fevereiro de 1818. Veio em uma carroça trazendo alguns móveis e utensílios domésticos, alguns quadros piedosos e seu maior tesouro: sua biblioteca de cerca de trezentos volumes.

Conta-se que encontrou um pequeno pastor a quem pediu que lhe indicasse o caminho. A conversa foi difícil, pois o menino não falava francês e o dialeto de Ars diferia do de Écully. Mas acabaram por se compreenderem.

A tradição narra que o novo pároco teria dito ao garoto: “Tu me mostraste o caminho de Ars: eu te mostrarei o caminho do céu.”Um pequeno monumento de bronze à entrada da aldeia lembra esse encontro.
Ele mesmo preparava suas refeições. Apenas dois pratos: umas vezes, batatas, que punha para secar ao ar livre. Outras vezes, “mata-fomes”, grandes bolos de farinha de trigo escura. Um pouco de pão e água. Era o suficiente. Comia pouco. Quando lhe davam pão branco, trocava pelo escuro e distribuía o primeiro aos pobres.
Dizia: “Tenho um bom físico. Depois de comer não importa o quê e de dormir duas horas, estou pronto para recomeçar.”

O que mais ele valorizava era a caridade e a gentileza. Grandes somas ele dispendia auxiliando os seus paroquianos. Dinheiro que vinha da pequena herança de seu pai, que lhe enviara seu irmão Francisco e de doações de pessoas abastadas, a quem ele sensibilizava pela palavra e dedicação.

Por volta de 1830, era muito grande o afluxo de pessoas que se dirigia a Ars. Os peregrinos não tinham outro objetivo senão ver o pároco e, acima de tudo, poder confessar-se com ele. Para conseguir, esperavam horas…às vezes, a noite inteira.

Esse pároco que dormia o mínimo para atender a todos, madrugada a dentro. Que vivia em extrema pobreza e austeridade, vendendo móveis, roupas e calçados seus para dar a outrem.
Comovia-se com a dor alheia. Quando se punha a ouvir os penitentes que o buscavam, mais de uma vez derramava lágrimas como se estivesse chorando por si próprio. Dizia: “Eu choro o que vocês não choram.”
Tanto trabalho, pouca alimentação e repouso, foram cansando o velho Cura. Ele desejava deixar a paróquia para um pouco de descanso. Mas os homens e mulheres da aldeia fizeram tal coro ao seu redor, que ele resolveu permanecer.

Ele, que em sua juventude, fora ágil, agora andava arrastando os pés. Nos dias de inverno, sentia muito frio. Em 1859, numa quinta feira do mês de agosto, dia 4, às duas da madrugada, ele morreu tranqüilamente. Dois dias antes, já bastante debilitado fora visto a chorar. Perguntaram-lhe se estava muito cansado. “Oh, não”, respondeu. “Choro pensando na grande bondade de Nosso Senhor em vir visitar-nos nos últimos momentos.”

Por ocasião do centenário da sua morte, em 1959, o Papa João XXIII promulgou a Carta Encíclica Sacerdotii Nostri Primordia realçando a suas virtudes e relembrando o seu exemplo principalmente para os sacerdotes da Igreja Católica.

Fonte: http://blogvisao.wordpress.com/ / Com complementos de Fraternidade Dom Timóteo

Postado por Seminarista Adriézio lima às 16:14hs



SANTAS MISSÕES POPULARES PERMANENTES
DIOCESE DE TIANGUÁ-CE
Aréa Missionária Nossa Senhora de Fatíma - Camocim -CE

Em todas as paróquias de nossa Diocese, já há três anos, vem se desencadeando intenso trabalho de Missão, a saber: Santas Missões Populares Permanentes - SMPP. Conduzidas pela a equipe diocesana de Missão, COMIDI. Aconteceu de 03 de Julho a 09 do mesmo a ultima etapa desde projeto em nossa Igreja Particular Diocesana – Diocese de tianguá-CE.


Camocim - CE
Oração e café

Seminarista Francisco Marlos

Padre Antônio Claúdio



No momento oportuno, todos os padres, religioso (a)s, seminaristas (filósofos – teólogos) de nossa Diocese e até mesmo advindos de outras dioceses e ou estados, entraram em ação e assumiram com ardor a causa missionária de nossa Igreja Diocesana em comunhão com o nosso Pastor diocesano Dom Frei Francisco Javier.


Não se trata dum momento forte e rico de variadas atividades missionárias que terminam com o encerramento das missões. Pelo contrário, as Santas Missões Populares Permanentes é um processo que o próprio nome nos afirma, é algo que tem e vai PERMANECER; que mantém um constante clima missionário em toda a Diocese. Assim, a marca missionária, que foi sempre característica de nossa Diocese, DE NOSSO BISPO começa a entrar numa nova etapa, assumindo um movimento missionário constante, ou seja, revitalizando toda sua ação pastoral com o clima e a força missionária. Tendo como bse as coordenações formadas em âmbito diocesano e paroquial. Essas coordenações impulsionaram o trabalho missionário nesse trilhenio de missão, dedicação total ao trabalho e ardor missionário nas trê regiões da Diocese.

Além da grande sacudida em nossa Diocese, com as Santas Missões Populares Permanentes, à mesma, convida todo cristão batizado (a)s a reflétir o seu verdadeiro ser missionário... [  ]. Precisamos examinar profundamente se a nossa comunhão com o Senhor e com os irmãos vem se alimentando e fortificando, conforme as exigências desta sociedade em vertiginosas mudanças... o que de especial fazemos para conservar a nossa fé diante do comportamento duma sociedade materialista, hedonista? Pois bem, as Santas Missões ajudanos a tomarmos consciência da situação em que estamos... como cidadãos responsáveis, membros duma família que tem o mesmo sangue, sangue cristão e duma comunidade que professa a mesma fé. “Todo cristão batizado deve assumir o seu verdadeiro compromisso missionário, assim como reza o documento de Aparecida” As Missões Populares não deixa de ser um Retiro Espiritual profundo e abrangente, que poderá nos recolocar nos caminhos de Deus e reavivar a nossa fé em comunhão com os irmãos.

Santas missões em Bitupitá Barroquinha-CE

Padre Luiz Gonzaga  / Seminarista Adriézio lima


Caminhando com o povo - às 04:30hs

Idem... Seminarista Adriézio lima

Durante a Missa

Missa em uma das comunidades do setor Bitupitá Barroquinha - CE

Caminhando e cantando

Idem... após oração matinal

Café comunitário de Fronte a Igreja de S. José

As Santas Missões Populares são e foi um grande mutirão missionário, em que todas as forças apostólicas são empenhadas. As estruturas das paróquias, as técnicas de evangelização são tudo revisada de acordo com a missão continental - advinda de toda a Igreja Latino Americana e Caribênia. Para nossa Diocese, sobretudo, as Santas Missões Populares vêm numa abençoada hora; pois, a igreja particular de TIANGUÁ-CE foi fortemente marcada pelo carisma missionário. Esse carisma foi confirmado e reavivado pelo MINISTÉRIO DA VISITAÇÃO. Estava precisando desperta em nosso povo uma nova força, força essa que fortifica esse carisma de missão e conserva sempre aceso essa revitalização constante, conservando a diocese em estado de permanente missão. É o que nos prometem as SANTAS MISSÕES POPULARES. “É festa de Deus é festa do povo, Santas Missões Populares Vem ai um Jeito Novo...”

Santas Missões Populares na Pároquia de Santa Luzia - Timonha Granja-CE

Bandeira da Missão - Pároquia de Timonha Granja-CE

Nas comunidades

O povo de Deus

E, caminhando eu vou...

Manifestação da Igreja de Deus em Timonha Granja-CE

Padre Luciano / Seminarista Felipe

Postado por Seminarista Adriézio lima às16:00hs
25 de jul de 2011

TIANGUÁ-CE FESTEJA SUA PADROEIRA


Até o próximo dia 26, fé e devoção mobilizam milhares de católicos, em 11 Municípios do Ceará: Iguatu, Tianguá, Independência, Jati, Santana do Cariri, Santana do Acaraú, Mocambo, Jaguaruana, Eusébio, Paramoti e Varjota. Os fieis celebram novenário em louvor aSenhora Sant´Ana, mãe de Maria Santíssima. A festa religiosa nas paróquias foi aberta no último dia 17, domingo, com novena nos municípios citados.

Dos Municípios que adotaram Senhora Sant´Ana como padroeira, dois são sede de Dioceses, Iguatu e Tianguá. Há também dezenas de localidades e paróquias que festejam novenário em louvor à mãe de Maria. Novenas, caminhadas, missas, confissões, salvas, quermesses e procissão fazem parte da programação das festas religiosas que atraem milhares de devotos e movimentam as cidades no Interior do Estado.

Postado por Seminarista Adriézio lima ás 19:34hs